Val Marchiori é acusada de lavagem de dinheiro – Saiba mais! - WillCarvalho.com - O blog do Will Carvalho Locutor

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Val Marchiori é acusada de lavagem de dinheiro – Saiba mais!

Val Marchiori é proprietária de uma empresa que está na mira do TCU – Tribunal de Contas da União e o ministro André Luís de Carvalho está se preparando para encaminhar uma solicitação para que gestores do Banco do Brasil sejam multados. Existe a suspeita de que houve fraudes em alguns empréstimos fornecidos à empresa de Marchiori.

===CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE===


De acordo com a Folha de S.Paulo, o ministro André Luís afirma que há fortes indícios de que houve sim, lavagem de dinheiro em transações realizadas pela empresa de Val Marchiori. Ela é sócia da Torke Empreendimentos que chegou a conseguir em 2013, um financiamento no valor de 2,7 milhões de reais, alegando que o dinheiro seria destinado à aquisição de pelo menos 5 caminhões.

Esse valor que foi entregue à empresa de Val, teve origem no Programa de Sustentação do Investimento, que é do BNDES. E o Banco do Brasil ainda teria liberado à Torke Empreendimentos o valor de R$ 200 mil, dinheiro que seria usado para comprar um Porsche Cayenne para a apresentadora.

Apresentadora teria feito ‘mudanças fraudulentas’ na empresa

De acordo com o ministro, a empresa estava procurando proteger a carreira de Val Marchiori e mais, cuidar do patrimônio pertencentes aos filhos da loira. Ainda segundo a publicação, ao ser informada pelo Banco do Brasil que tal objeto não estaria de acordo com as normas para conseguir o financiamento, então ela fez ‘alterações estatutárias fraudulentas’.

Essas mudanças serviram para tentar mostrar que a empresa também oferecia serviços de locação de veículos, desta forma ela conseguiu ter sucesso no fechamento do contrato de financiamento.

André Boiani, que é advogado da apresentadora, informou que essa denúncia contra sua cliente já foi rejeitada por duas vezes na Justiça Federal, o que já mostra que não houve nenhum a ato ilícito. O Banco do Brasil ainda não se pronunciou a respeito deste caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário