Ads Top

Meu Malvado Favorito 3 é diversão garantida aos pequenos e faz referências aos anos 80 para os adultos

Filme prende a atenção do espectador, tem ícones da música na trilha sonora e boa dublagem 



Fazer um filme de sucesso e que atinja os públicos infantil e adulto além de ser um desafio é quase uma obrigação no atual mercado. Esse é o caso de Meu Malvado Favorito, produzido pela Universal Pictures e Illumination Entertainment. Lançada em 2010, a franquia caiu no gosto dos espectadores e ganhou uma sequência após três anos, e, em 2015, teve o lançamento de Os Minions, protagonizado pelas criaturinhas amarelas que roubaram a cena nos dois primeiros filmes.

Na produção, dirigida por Pierre Coffin e Kyle Balda, Gru é considerado o maior vilão do mundo, até que, em sua porta, na segunda parte da sequência, aparecem Agnes, Edith e Margo, que ele adota como filhas e quebram seu “coração de gelo”. A paternidade inesperada fez com que o malvado deixasse a vilania e se apaixonasse por Lucy.

Escrita pelos mesmos autores das outras versões, Meu Malvado Favorito 3 é a menos interessante da franquia, mas não deixa a desejar nos efeitos visuais, trilha sonora e dublagem — que, por sinal, casam perfeitamente com o filme. Na animação, Gru descobre ter um irmão gêmeo, Dru, que é mais bonito e bem-sucedido do que ele. Com personalidades opostas, ele é convencido pelo "germano" e volta a ser “do mal” para que possam enfrentar Balthazar Brett, vilão bem-sucedido nos anos 80 e que retorna à ativa para atormentar a vida da dupla e da família de Gru em uma série de confusões.

Para que os amarelinhos não sumam do longa, ao abandonarem o vilão, eles são presos. Apesar disso, os irmãos mostram que, juntos, é possível resolver qualquer situação ou problema. Nesse aspecto da valorização da união familiar, um momento que Lucy tanto espera acontece e emociona os telespectadores. Voltado principalmente para o público infantil, a produção conta com linguagem bastante madura e agradável a todos os tipos de espectadores.


Na versão brasileira do filme, Leandro Hassum tem duplo trabalho ao dublar a voz dos irmãos Gru e Dru. A fala de Lucy é interpretada por Maria Clara Gueiros, e Balthazar Brett tem a voz de Evandro Mesquita, ator e cantor da banda de rock Blitz —  recheada de expressões muito utilizadas na década de 80.

Já a trilha sonora conta com grandes nomes da música, principalmente dos anos 80. Michael Jackson, por exemplo, domina o trailer com a canção Bad, gravada em 1987. Phil Collins, com a música Sussudio (1985), aparece em uma das cenas da animação. Pharell Williams, presença certa na parte musical em outros filmes da série, e Young De completam a lista como referências fora da linhagem oitentística.

Apesar de a trama ser previsível, o filme prende a atenção do público por 1h30, é divertido e fácil de entender. Sem dúvidas, repetirá o sucesso de seus
antecessores.

Com informações do site R7

Nenhum comentário :

Tecnologia do Blogger.